Análise grafológica da carta de suicídio de Kurt Cobain

Os detalhes que você não vê, contados em primeira mão

Análise grafológica da carta de suicídio de Kurt Cobain

  • Direção: sugere desmotivação, falta de assertividade, cansaço e até indício de depressão;
  • Margem: orientação para o passado, receio, impaciência;
  • Zona média: Confluência dos impulsos superiores (pensamento, racionalidade) e dos impulsos inferiores (pulsões instintivas e biológicas);
  • A falta de ligação entre letras: intuição, abstração e tendência a focar-se em possibilidades. Sugere ainda facilidade para desenvolver sistemas teóricos e análise de processos que partem da causa para o efeito;
  • Palavras que se movem para cima e para baixo podem indicar uma pessoa instável ou insegura;
  • Caligrafia pequena: indica que a pessoa é reclusa, introvertida ou frugal;
  • Retoques excessivos na escrita: vontade de se esconder ou perfeccionismo excessivo
  • Letra T: Baixa autoestima, medo de falhar;
  • Letra e: Tem a sua opinião e é um pouco complicado para entender o ponto de vista das outras pessoas;
  • A letra M com a primeira perna maior que as outras, transparece coragem e orgulho;
  • Letras G: minúsculas com o laço (parte de baixo) bem estreito, quase um traço apenas – Medo de confiar nos outros, de se magoar, personalidade antissocial;
  • Inclinação muito variável: Contradição, conflitos emocionais, indecisão, dupla personalidade;
  • A escrita arredondada e o meio termo entre a angulosa, que indica firmeza, e a redonda: Neste caso, esta pessoa mantém solidez e constância nas ações, mas equilibra com sinais de persuasão, otimismo e diplomacia para contornar as adversidades.

EDTKdfvXYAAM1-x Análise grafológica da carta de suicídio de Kurt Cobain

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

pt_BR