Tiroteio na Las Vegas Strip

Os detalhes que você não vê, contados em primeira mão

Tiroteio na Las Vegas Strip

Considerado o maior massacre já ocorrido nos Estados Unidos, o Massacre de Las Vegas aconteceu no dia 1 de outubro de 2017, durante a última noite do Route 91 Harvest Music Festival, festival de música country, em Las Vegas Strip, sul de Las Vegas.

Stephen Paddock (64), o atirador, se hospedou no Mandalay Bay Hotel no dia 25 de setembro de 2017. Ele inicialmente reservou apenas o quarto 32-135, no 32º andar, mas quatro dias após sua chegada, resolveu reservar também o quarto 32-134. Ambas as suítes são conectadas por uma porta e ficam próximas ao local do ataque.

Festival Route 91 Harvest antes do ataque, e o Mandalay Bay Hotel ao fundo

No tempo em que ficou hospedado no Hotel, Paddock estocou várias armas, equipamentos e munição. Durante o dia ele fazia viagens à sua casa, em Mesquite, a 123km de Las Vegas, para pegar malas com seu arsenal, e à noite ele ficava no cassino do hotel. Durante sua estadia, ele interagiu com os funcionários do hotel diversas vezes, mas ninguém desconfiou de nada.

Casa de Paddock

No dia do massacre, Paddock colocou placas de “não incomode”, nas portas de suas suítes, e uma babá eletrônica no corredor. Um pouco antes das 22h, um segurança do hotel, Jesus Campos, foi enviado ao 32º andar para verificar um alerta de porta aberta. Ao chegar lá, percebeu que ela estava presa.

Campos então conseguiu arrombar a porta e descobriu que uma braçadeira havia sido aparafusada entre a porta e o portal, afim de impedir a entrada de pessoas. Enquanto estava reportando a situação à gerência do hotel, Campos escutou uma rajada de tiros vindos do quarto 32-135.

Paddock quebrou as janelas de suas duas suítes com um martelo e, aproximadamente às 22:05, começou o ataque. Inicialmente, ele começou atirando poucas vezes na plateia, que confundiu os barulhos de tiros com fogos de artifício.

Ao escutar o barulho, Campos tentou verificar o que estava acontecendo e foi atingido na coxa por Paddock. Campos então se escondeu para não levar mais tiros. Stephen Schuck, que também estava no andar, se escondeu e reportou o que estava acontecendo à gerência do hotel, que chamou a polícia.

Em seguida, Paddock começou a disparar rajadas de tiros contra a plateia. As pessoas entraram em desespero, pois não sabiam de onde vinham os tiros, e não conseguiam fugir por causa de uma cerca de segurança colocada pela administração do festival. O massacre durou 10 minutos, acabando às 22:15. Paddock atirou mais de 1.100 vezes das janelas de suas duas suítes, a aproximadamente 450 metros do festival. 58 pessoas foram mortas, e mais 422 foram atingidas. Por causa do pânico e da correria, outras 429 pessoas também acabaram machucadas.

Além de atirar na plateia do festival, Paddock atirou também em tanques de combustível de avião que estavam guardados no Aeroporto Internacional McCarran, a 600 metros do hotel. Dois tiros atingiram o exterior dos tanques e um conseguiu penetrá-los, mas não houve nenhuma explosão porque combustível de avião é composto principalmente por querosene, que dificilmente explode com tiros.

Os policiais inicialmente ficaram confusos se os tiros estavam vindo do Mandalay Bay Hotel, do Luxor Hotel ou de alguém no festival, mas depois identificaram múltiplos flashes de tiros no Mandalay Bay Hotel e seguiram para lá.

A polícia chegou ao 32º andar do Mandalay Bay Hotel às 22:17. Primeiro, eles evacuaram todas as pessoas que estavam no andar, incluindo Campos e Schuck e, às 23:20, depois de receberem reforços da SWAT, arrombaram a porta da suíte 32-135 com a ajuda de explosivos, encontrando Paddock morto com um tiro na cabeça.

  • STEPHEN PADDOCK

Stephen Craig Paddock nasceu no dia 9 de abril de 1953 em Clinton, Iowa. Ele era o filho mais velho de Benjamin Paddock, ladrão de bancos que foi preso em 1960, quando Stephen tinha 7 anos de idade. Em 1969 Benjamin Paddock fugiu da cadeia e entrou pra lista de mais procurados do FBI.

Paddock se formou em Administração na Universidade Estadual da Califórnia, em 1977. Ele trabalhou como carteiro no U.S. Postal Service de 1976 a 1978. Seu próximo emprego foi como agente da receita federal americana até 1984. De 1985 a 1989, ele trabalhou como auditor da receita federal e de uma empresa privada. Em seguida, Paddock abriu uma corretora de imóveis.

Ele viveu próximo de Los Angeles e possuía propriedades em vários lugares, como Panorama City, Cerritos e North Hollywood. Também era dono de dois prédios de apartamentos em Hawthorne, Califórnia, e um complexo de apartamentos em Mesquite, Texas, que foi vendido em 2012.

Sua família alega que Paddock possuía pelo menos 2 milhões de dólares quando vendeu sua corretora de imóveis. Registros da receita federal mostram que ele lucrou entre 5-6 milhões de dólares com a venda de outro complexo de apartamentos, em 2015.

Paddock jogou vídeo poker por 25 anos e gostava de apostar valores altos.

Seu primeiro casamento durou de 1977 a 1979 e o segundo durou de 1985 a 1990. Sua família relata que ele tinha boa relação com suas ex-esposas. Seu irmão, Eric Paddock, disse que Stephen não possuía preferências políticas ou religiosas.

Eric Paddock

Durante toda sua vida, Paddock morou no Texas, na Califórnia, na Flórida e em Nevada. Em janeiro de 2015, ele vendeu sua casa na Flórida e comprou uma em Mesquite, onde viveu com sua namorada até o dia do massacre.

Pessoas que o conheciam o descreveram como alguém discreto que não falava muito, mas seu irmão, Eric, o chamou de “rei da microagressão” – narcisista, detalhista, e talvez entediado o suficiente com a vida para planejar um ataque que o faria famoso.

Durante uma entrevista à CBS, o cherife de Clark County, Joe Lombardo, disse que Paddock vinha perdendo grandes quantidades de dinheiro desde setembro de 2015, o que o levou a ter “ataques de depressão”. Os investigadores acreditam que ele era obsessivo com limpeza e provavelmente era bipolar. Paddock disse a um vendedor de carros meses antes do ataque que estava depressivo e que o seu namoro não ia bem. Ele disse à família que se sentia doente e com dor. Seu médico lhe ofereceu antidepressivos, mas ele só aceitou medicação para ansiedade. O médico descreveu Paddock como “estranho” e disse que ele demonstrava “pouca emoção”.

Duas semanas antes do ataque, Paddock deu a sua namorada, Marilou Danley, uma passagem de avião para as Filipinas, junto com 150 mil dólares, para que ela comprasse uma casa lá.

Namorada de Paddock

De acordo com a investigação do Departamento de Polícia de Las Vegas, Paddock era de direita e defendia a posse de armas. Ele disse a um amigo que “às vezes sacrifícios têm que ser feitos” para encorajar o público americano a se armar.

De 1982 a 2016, Paddock comprou 29 pistolas e revólveres, e de outubro de 2016 a 28 de setembro de 2017, ele comprou outras 55 armas, rifles em sua maioria, além de acessórios.

Em adição às armas e acessórios encontrados nas suítes do hotel, haviam anotações e cálculos de onde ele precisava mirar para maximizar os danos, a distância dos alvos e a trajetória dos tiros.

Em seus notebooks, foram encontradas centenas de imagens de pornografia infantil. Um de seus irmãos, Bruce, também já havia sido preso por possuir mais de 600 fotos de pornografia infantil em North Hollywood.

Bruce Paddock

No carro de Paddock ainda foi encontrada muita munição e material pra fazer explosivos. Em sua casa, foram mais 19 armas.

O Estado Islâmico e o Levant assumiram responsabilidade pelo ataque, mas a investigação não revelou nenhuma conexão entre Paddock e ISIS.

No total, Paddock levou ao hotel, escondidas em 10 bolsas, as seguintes armas:

14 rifles AR-15, calibre .223

8 rifles AR-10, calibre .308

1 rifle Ruger American Bolt-Action, calibre .308

1 revolver Smith * Wesson modelo 342, calibre .38

Alguns dos rifles estavam em suportes e eram equipados com miras telescópicas de alta tecnologia. Todos os AR-15 estavam equipados com bump fire stocks que fazem com que os rifles semiautomáticos disparem mais rápido.

Pouco mais de um ano após o massacre, o FBI liberou seu relatório sobre o caso e nele abordou os seguintes pontos:

DESCOBERTAS CHAVE DAS UNIDADES DE ANÁLISE DE COMPORTAMENTO

  1. O ataque de Paddock não foi motivado por questões ideológicas.
  2. Paddock não teve um motivo específico para fazer o ataque.
  3. Não foi encontrado nenhum manifesto, vídeo, nota ou qualquer outra forma de comunicação.
  4. O FBI concluiu que Paddock desejava um certo grau de fama por ter feito um massacre de grandes proporções.
  5. A decisão de matar pessoas enquanto elas estavam se divertindo era consistente com a personalidade de Paddock, que tinha um histórico de explorar os outros por manipulação. Paddock mostrou empatia mínima durante sua vida e via as pessoas como formas de obter o que queria.
  6. O ataque não foi motivado por raiva a nenhum cassino, hotel, instituição específica de Las Vegas ou pessoa morta ou ferida no ataque. Sua escolha do hotel foi por dar-lhe a privacidade para organizar o ataque e visibilidade direta da plateia de festival, que estava indefesa, tudo isso estando a uma viagem de carro de sua casa em Mesquite.
  7. Quando decidiu fazer o ataque, Paddock devotou seu tempo, atenção e energia para o planejamento detalhado do massacre. A preparação do ataque foi prazerosa para Paddock pois lhe deu senso de direção e controle, apesar de sua decaída mental e física. Ele pesquisou detalhadamente o melhor local, táticas policiais e balística. Paddock não falou sobre seus planos com ninguém.
  8. Paddock tomou múltiplas e calculadas precauções para que pudesse cometer suicídio na hora e da forma que ele queria. Isso incluiu a babá eletrônica no corredor do hotel, as travas aparafusadas nas portas e a decisão de levar uma arma de 38 calibres, que ele usou para se matar.
  9. Antes do ataque, Paddock manteve relações interpessoais com as pessoas. Ele parecia demonstrar preocupações e responsabilidades autênticas pela sua namorada e certos membros de sua família. Seu declínio mental foi percebido por outras pessoas, mas nunca foi interpretado como indicativo de que ele estava se preparando para fazer um massacre.
  10. Paddock era, de muitas formas, similar a outros atiradores que o FBI já estudou.
  • APÓS O ATAQUE

Foi criado um fundo de 31.4 milhões de dólares, dinheiro que foi distribuído para mais de 530 pessoas, todas vítimas do ataque e suas famílias. Parentes das vítimas fatais e pessoas que ficaram com dano cerebral permanente ou paralisia receberam o valor máximo de 275.000. Quantias menores foram dadas às pessoas que foram hospitalizadas ou receberam cuidados médicos nos dias seguintes ao massacre.

Um comitê presidido pelo governador de Nevada, Brian Sandoval, vai fazer o design, conseguir fundos e construir um memorial permanente para as vítimas mortas no massacre, mas isso pode levar anos.

O local onde ocorreu o festival continua sem uso e fechado. O dono, MGM Resorts International, alega não ter planos pra reabertura.

Um jardim feito por voluntários, quilômetros longe do local do ataque, é o único espaço público permanente criado em memória das vítimas. Nele foram plantadas 59 árvores, uma para cada vítima, um carvalho, representando a vida, uma fonte de água e uma série de estruturas decoradas com lembranças, nomes e fotos das vítimas.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *